Ir para o conteúdo

Diferença entre Ultrassonografia Obstétrica e Ultrassonografia Morfológica

 

Uma das maiores dúvidas que podem aparecer no período da gestão é entender a diferença entre os exames de ultrassom que são feitos durante a gravidez: a ultrassonografia obstétrica e a morfológica.

 

Qual dos dois é mais importante na hora de analisar a integridade da saúde do bebê? Existe um melhor que o outro ou ambos são necessários? Para responder essas dúvidas, ao decorrer deste conteúdo você irá aprender a diferença entre esses dois tipos de ultrassom e suas principais características. Boa leitura!

 

O que é uma ultrassonografia obstétrica?

 

Este tipo de ultrassom é usado para acompanhar o desenvolvimento do feto, localizar a placenta e analisar a quantidade de líquido amniótico. É feito de acordo com a indicação médica, quantas vezes for necessário e a qualquer período da gestação.

E qual a aplicação da ultrassonografia morfológica?

A ultrassonografia morfológica é como uma varredura minuciosa de todo o corpo do feto, com o intuito de detectar sinais de problemas genéticos que possam causar má formação do bebê ou arriscar a vida da mãe. Na maioria das gestações, este tipo de ultrassom é feito duas vezes. Uma entre a 11º e 14º semana e a outra entre a 20 e 24º.

 

Como a ultrassonografia morfológica é mais “completa”, é a que melhor avalia a saúde e anatomia do bebê.

As principais características dos dois tipos de ultrassonografia

 

Confira então as principais características das ultrassonografias obstétrica e  morfológica:

 

Obstétrica

  • Indicação – Todas as gestantes em qualquer período da gestação.
  • Objetivos – Usado para realizar a biometria fetal, verificar o posicionamento da placenta, a quantidade de líquido amniótico e analisar o desenvolvimento do feto.
  • Período Ideal – Durante toda gestação, o número de exames é decidido pelo médico.
  • Tipo de Laudo – Um resumo geral e objetivo das condições do feto.
  • Documentação de Imagens – São entregues de 4 a 8 imagens.

 

Morfológica

  • Indicação – Usado como triagem em todas as gestantes e para o acompanhamento de fetos com risco de malformação.
  • Objetivos – Avaliação minuciosa de toda anatomia do feto e detecção de doenças genéticas, além disso, pode ser usado como biometria fetal complementar e para obter um registro detalhado de toda a formação do bebê.
  • Período Ideal – Entre as semanas 11 e 14 e o segundo exames entre 20º e 24º semana de gestação.
  • Tipo de Laudo – Descritivo e extremamente detalhado.
  • Documentação de Imagens – São entregue entre 10 a 30 imagens.

 

 

E então, agora entendeu as principais diferenças entre a ultrassonografia obstétrica e a morfológica? Para aprender mais dicas e informações importantes sobre saúde continue no blog! Se busca por atendimento entre em contato e verifique se podemos te ajudar!

Deixe seu Comentário





Role para cima